Doses homeopáticas de bem-estar

0
1128

Com 30 anos de experiência na dança, o coreógrafo e diretor artístico do Estúdio Miosótis, Wagner Alvarenga, fala de sua carreira, da importância do autocuidado e de como a arte da dança pode ajudar no dia a dia das pessoas.

Filho de uma bailarina e artista plástica e de um professor de educação física, o paranaense Wagner Alvarenga veio ao mundo preparado para trabalhar com dança. “Eu já dançava quando pequeno. Dancei quadrilha, festa das Nações… e quando meu pai foi gerente de clube (estava com 12 anos), eu já frequentava os bailes desse clube, sempre dançando, porque meus pais não tinham com quem me deixar [risos]. Comecei fazendo dança de salão, depois danças folclóricas… vieram os anos de 1980, auge da discoteca, do dancing days, flash dance, e eu acabei me empolgando e também estudando jazz. Fui fazer aulas de balé clássico porque via como esse tipo de dança ajudava no alongamento, depois parei por dois anos e no último ano do Ensino Médio voltei a estudar, pagando minhas aulas com as aulas de dança de salão que ministrava em uma academia em Londrina. Estava com 18 anos nessa época, quando terminei a faculdade de Educação Física e me formei em dança. Foi assim que comecei na profissão”, conta o coreógrafo.

Wagner continua dizendo que, nos anos de 1990, após formado, recebeu um convite para dar aulas de dança de salão, jazz e clássico na companhia de balé Cisne Negro e se mudou de Londrina para São Paulo. Nessa época também se aprofundou em sua experiência profissional como bailarino, dançando no Balé Stagium, no Ismael Guiser e no Grupo Corpo, de Belo Horizonte. Também passou algum tempo na Alemanha e voltou para o Cisne Negro em 1994, onde ficou dando aulas e dançando ininterruptamente até 2010, época em que foi convidado para dar aulas na antiga Pulsarte, da Vila Madalena, onde permaneceu até a escola fechar em 2014.

Entre os melhores momentos vividos por Wagner em sua carreira, ele cita o prêmio de primeiro lugar em coreografia que ganhou no Festival de Dança de Joinville – SC, quando tinha apenas três anos de dança; a oportunidade de visitar e de morar em São Paulo, quando virou estagiário da companhia Cisne Negro; o convite que recebeu para fazer a preparação física da atriz Cláudia Raia e do ator Miguel Falabella para o espetáculo “O Beijo da Mulher Aranha”, que foi sua porta de entrada para os musicais; outro convite que recebeu para dar aulas de balé clássico em uma ópera que aconteceu em Itu, o qual abriu caminho para experienciar e montar mais de 30 óperas ao longo de sua vida profissional; o trabalho que realizou no Criança Esperança e também no Parque da Xuxa; e a criação de seu projeto social, em 2007, quando ainda integrava a escola Cisne Negro. Wagner idealizou, coordenou e dirigiu esse projeto social, que chamava “Reciclando Sonhos”. Ele durou três anos e unia arte, educação e complementação escolar. “Foi incrível, muito gratificante, porque eu já estava insatisfeito. Tinha realizado muitas coisas, mas não conseguia enxergar um sentido maior no conhecimento que tinha adquirido. Assim, quis passar meu conhecimento adiante e levar a arte para quem não tinha acesso, criando esse projeto que unia dança, teatro, música, cidadania e saúde. Um dos momentos mais marcantes que lembro dessa época foi no primeiro ano, quando lançamos o projeto no Teatro Municipal de São Paulo. Eu levei 40 jovens, selecionados de um grupo de mais de 200, e quando eles entraram para apresentar um jogral, todos em fila, organizados, eles ficaram tão emocionados por entrar e conhecer o teatro, que todos choraram… inclusive a equipe que estava junto e eu, claro”, revela.

estudio miosotis03-JAN-TGHoje, com 30 anos de dança e quase 50 de vida, Wagner é diretor artístico e proprietário do Estúdio Miosótis, juntamente com a bailarina Flora Andrade – a escola de balé está localizada no bairro da Vila Leopoldina, foi aberta no mês de março de 2015 e oferece cerca de 15 atividades artísticas, que incluem balé, sapateado, teatro musical, dança de salão, danças de rua, pilates e circo. Lá, ele ajuda quem quer se iniciar ou continuar na dança com todo carinho e atenção. Sua dedicação a essa arte é praticamente integral, mas o coreógrafo, que também é professor, diretor artístico, produtor cultural e curador do Museu Brasileiro de Escultura (MUBE), não para de inventar e já está com seu calendário de atividades quase completo para 2016. Para janeiro, por exemplo, Wagner e sua equipe darão um curso de férias para crianças, de 11 a 16/jan, das 13 às 17h, na sede da Miosótis, que inclui atividades diversas, como sapateado, circo e oficinas de artes plásticas com materiais recicláveis. Já do dia 16 ao dia 24/jan, o grupo programou um curso de férias intensivo, ministrado pela bailarina Daniela Severiano, para crianças e adultos, com o objetivo de montar e apresentar gratuitamente uma suíte de balé clássico da peça “Bela Adormecida” na comunidade do CEU Jaguaré no dia 24/jan, domingo, às 16h. Essa apresentação é somente uma mostra do trabalho que Wagner faz com pessoas que não têm oportunidade de assistir ou participar de uma peça de teatro musical. A equipe do Miosótis trabalha a inclusão com arte no projeto “Continuarte”, que oferece aos alunos da rede pública a oportunidade de iniciar o aprendizado nas diversas linguagens relacionadas à dança e suas expressões e de continuar o processo educativo até a sua profissionalização.

Para Wagner, nada pode ser mais importante do que a realização dos sonhos e o autocuidado. Como este é o primeiro Guia Daqui Lapa do ano de 2016, pedimos para o coreógrafo listar os principais benefícios que sua arte favorita proporciona para as pessoas. Ele começa dizendo que para ficar sempre bem é preciso de doses homeopáticas de bem-estar todos os dias, e de ao menos uma hora de carinho para consigo mesmo. “Para ter energia sempre, é preciso dedicar um tempo para se cuidar, fazer atividade física, dormir, fazer algo prazeroso, pois é comum as pessoas se esquecerem de si, e isso pode levar à depressão ou à insatisfação. A dança, para mim, é uma atividade completa. Ela une movimento com música, expressão, e ainda fortalece os músculos. Além disso, pode ser feita por pessoas de todas as idades, independente do sexo e da situação do corpo… seus movimentos relaxam e suas técnicas só trazem benefícios. É uma ótima pedida para começar o ano”, finaliza. (ND)

Estúdio Miosótis

Avenida Imperatriz Leopoldina, 1571, Vila Leopoldina

Telefone: 2729-2949

www.estudiomiosotis.com.br

Fotos: Tiago Gonçalves

 

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA