Dona Felicidade Bastos, morre aos 96 anos

0
1679

Foto: Arquivo GDLL

Arquivo GDLL
Dona Felicidade, seus filhos Sérgio e Toninho e nora, em janeiro de 1996

Imigrante portuguesa, Felicidade da Conceição Bastos (1925-2022), teve a história pessoal muito ligada à região. Com o marido Manuel Bastos, falecido em 1989, criaram nos anos 70 o Pé Pra Fora, boteco e restaurante e foi vendido em 1996 para os atuais donos. Ela morreu no dia 22 de junho.

Dona Felicidade nasceu em Cunha da Beira Alta e chegou ao Brasil com quatro anos de idade com os filhos Toninho e Sérgio seguiram depois da morte de Manuel no ramo de restaurantes. Abriram em na Vila Romana, em 1996, o restaurante Dona Felicidade na Rua Tito, 21, que tem como especialidades o bacalhau e a feijoada nos finais de semana. A receita tradicional é da Dona Felicidade. E seu talento na cozinha rendeu em janeiro de 2015 o lançamento de o livro de receitas “Dona Felicidade – Receitas, Histórias e Curiosidades”, em comemoração aos 18 anos do restaurante, referência da culinária portuguesa na Vila Romana.

Redes SociaisEntre os clientes do restaurante, Dona Felicidade, em entrevista ao Guia Daqui Lapa Leopoldina em 1996, citou entre outros, “o artista plástico Aldemir Martins, o escritor Mario Prata e o cartunista Paulo Caruso, uma clientela muito querida”, por ocasião do lançamento do livro.

Junto com os filhos Toninho e Sérgio, a família inaugurou em 2002, o bar Tiro Liro, na rua Cotoxó, 1185. Como era de se esperar os pratos e porções têm inspiração portuguesa, com certeza.

Dona Felicidade e Manuel tiveram cinco filhos: José Carlos, Roberto, Antonio, Elisabeth e Sergio, cinco netos e uma bisneta. Ela foi sepultada no Cemitério Congonhas e a missa de sétimo dia foi realizada na Paróquia São João Vianney, na Lapa. (GA)

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA