Uma tasca portuguesa, ora pois!

0
191

Foto: Lucia Oliveira

Lucia Oliveira
Tarca da Guarda,ambiente e receitas portuguesas

Inaugurado há três meses na Vila Leopoldina, o Tasca da Guarda é um lugar para conversar sobre a Santa Terrinha comendo um delicioso bolinho de bacalhau e um pastel de nata. Uma tentação, com certeza…

O casal Paulinho e Beth. (Foto/Lucia Oliveira)
O casal Paulinho e Beth. (Foto/Lucia Oliveira)

Quando o casal Paulinho Petronilho e Beth Moreira finalmente decidiu realizar o sonho de abrir um restaurante português na Vila Leopoldina, onde mora há vários anos, o propósito ia além da culinária. O objetivo era usar o espaço e a gastronomia para unir as pessoas e promover a cultura. Apenas três meses depois de inaugurado, o Tasca da Guarda, na Rua Carlos Weber, já cumpre à risca essa missão: o aroma irresistível do bacalhau e dos doces de nata e o ambiente acolhedor são o chamariz para o início de um bom bate-papo. O assunto? Como não poderia deixar de ser, gira em torno dos encantos da santa terrinha, ora pois pois….

“Procuramos recriar aqui todas as características de uma típica tasca portuguesa, que são restaurantes pequenos, informais e aconchegantes, onde se come uma comida simples e de qualidade, a um preço justo, e se bebe um bom vinho da casa. Tudo isso em meio de uma boa conversa e fazendo amigos”, explica Paulinho. “Em Portugal, as tascas têm o mesmo papel dos pubs na Inglaterra e dos bistrôs na França”, completa Beth.

Tasca da Guarda, bacalhau e outras iguarias.
Tasca da Guarda, bacalhau e outras iguarias.

À frente do Tasca da Guarda – cujo nome remete à região ao norte de Portugal de onde veio a família Petronilho -, o casal faz questão de recepcionar e conversar com todos que entram na casa. “Muitos vêm porque se identificam com Portugal, são descendentes, já moraram ou têm família lá e querem trocar ideias sobre o país, contar suas histórias e saber da nossa”, diz Paulinho. “Isso nos deixa muito felizes e mais próximos de nossas raízes”.

O cardápio da tasca mescla, como não poderia deixar de ser, vários pratos de bacalhau – incluindo a receita de família do legítimo bolinho -, caldo verde e uma variedade de sanduíches típicos da terrinha, como o lanche de pernil (outra receita da família), o prego (feito com carne amaciada no martelo) e o francesinha (que inclui salsicha, linguiça, bacon, rosbife, queijos e molho de tomate). Os pratos podem ser acompanhados de vinho ou cerveja portugueses. Os doces são outro destaque: além do famoso pastel de nata, tem papo de anjo, molotof (conhecido no Brasil como pudim de claras) e outros menos conhecidos por aqui, como a baba de camelo (mousse aerado de doce de leite com ovos).

O toque final fica por conta do vinho do Porto ou do licor de ginja (fruta que lembra a cereja). E o melhor de tudo: qualquer item do cardápio, das sopas ao bacalhau, é servido durante todo o período em que a casa funciona, ou seja, das 11 às 19 horas. “Nós também aceitamos encomendas, inclusive para eventos”, ressalta Beth. (Lúcia Oliveira)

Tasca da Guarda, Rua Carlos Weber, 1.675, Vila Leopoldina, Telefone 3645-3930

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA