Depois que o Carnaval passou

0
866

Foto:

Mestre-sala e porta-bandeira desfilam com alegria o Carnaval 2012

No Carnaval de 2012 a Zona Oeste se destacou pelo número dos blocos de carnaval que desfilaram nas semanas que antecederam a festa momesca. Teve comemoração para todos os lados e foi comum se deparar com alguns deles pela região. Sobrou alegria e alto astral e não faltou, entre os participantes, uma vontade grande de fazer valer a alegria.
No dia 4 de fevereiro, o Bloco Passaram a Mão na Pompeia colocou cerca de 1.500 foliões seguindo os bonecos gigantes representando a atriz Wilza Carla e o ex-jogador corintiano Sócrates, mortos ano passado. Com a produção do Centro Cultural Pompeia e apoio das empresas Página Editora, que publica o Jornal da Gente e os Guias Daqui e Vila Madalena, a festa é tradicional no bairro e vem cumprindo o objetivo de resgatar a alegria despretensiosa, familiar e romântica dos carnavais de rua.
No bairro da Lapa, mais exatamente na Vila Anastácio e Lapa de Baixo, a emoção foi o ponto forte que conduziu os desfiles do Bloco Alegria, Alegria e A Lapa Somos Nóis. Empresários da região, moradores e a Sociedade de Amigos de Vila Anastácio, a Serva, promoveram o desfile deste ano e como sempre lembrando a memória do Bonelli, líder comunitário que deixou muita saudade entre todos aqueles que o conheciam e que mantinham algum laço afetivo com ele. É o caso da Escola de Samba Império Lapeano, que colocou um grupo de amigos do dirigente na ala especial, quando abriu o desfile do Grupo 2, que aconteceu no domingo, dia 19, no bairro do Ipiranga.
Com as escolas de samba da região não foi diferente e muitas agremiações iniciaram o ano fazendo ensaios técnicos e apresentações nas suas quadras. O resultado disso é um acúmulo de energia e de entusiasmo que vai tomando conta de toda a comunidade e, principalmente daqueles que trabalham fervorosamente durante o ano todo.
O Guia Daqui fez uma cobertura pelos bastidores das academias do samba para dar ao leitor uma informação descontraída e precisa. Além disso, o DaquiTV, a do mesmo grupo midiático, cobriu o melhor das festas que aconteceu nesses dias. Conversamos com presidentes, passistas e representantes das principais escolas da região de cobertura dos seus veículos, Guias Daqui e Guia Vila Madalena e deles ouvimos histórias curiosas, alegres e, sobretudo, de muita garra e amor pela a agremiação das quais fazem parte.
Vencedora do grupo de acesso em 2011, a Dragões da Real foi a primeira escola a desfilar com um samba enredo com homenagem às mães e ao amor incondicional que ela devota aos filhos. Certa no objetivo de dar contundência ao tema, a comissão de frente simulou um parto na abertura do segundo dia de desfiles no Anhembi. Fez um ótimo desfile segundo a imprensa, ainda que a quebra do eixo de um dos carros tenha prejudicado a sua evolução.
Na mesma noite desfilaram a Pérola Negra, que voltou ao grupo de acesso e teve um dos carros alegóricos queimados na confusão entre as torcidas ocorridas no dia da apuração, Águia de Ouro, a escola das cores azul e branco que nasceu da Vila Anglo Brasileira em 1976, a Unidos da Vila Maria, Gaviões e a agremiação do bairro do Sumaré, que fechou o desfile do Grupo Especial com o tema envolvente Paz Na Terra e Aos Homens de Boa Vontade, tendo pelo primeiro ano à frente da presidência, a ex-passista e comissão de frente, Luciana Silva.
Águia de Ouro e Dragões da Real que desfilaram pelo Grupo Especial, permanecem no grupo de elite do Carnaval paulistano.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA