Poesia luso-brasileira

0
935

Foto:

Poesias singelas em 80 páginas

Escrever um livro de poesias é uma tarefa que poucos se aventuram. Foi o que fez Marco Antonio Azkoul, morador do Sumaré há mais de vinte anos e delegado de polícia desde 1986, que acaba de lançar o livro “Gaivotas Perdidas – Poesias, Recordações & Pensamentos” (80 páginas, Ed. Letras do Pensamento), com prefácio do jornalista Fernando Jorge, que segundo o autor, foi o inspirador da obra.
Marco Antonio é autor de vários livros sobre ciências jurídicas e políticas. Em sua carreira de delegado de polícia, criou a Delegacia de Polícia Intinerante. Jornalista formado e professor universitário, também escreveu livros abordando a crueldade contra os animais e outras obras. Em 2009, publicou o livro “Laços de uma Nação Portugal e Brasil a Caminho da Globalização” (Ed. Juarez de Oliveira). Além dos livros, o autor escreve com frequência artigos para diversos veículos, abordando temas como defesa do consumidor, segurança, justiça e meio ambiente. Foi professor titular da Cadeira de Introdução ao Estudo do Direito das Faculdades Capital.
Neste seu novo livro, explica que “O conteúdo deste livro é todo voltado para o bem, o amor e a bondade do próximo. Afinal, como dizia Abraham Lincoln, o homem que não vive para servir, não serve para viver”.
O livro foi pensado e escrito quando Marco Antonio esteve em Portugal em temporada de estudos. “Busquei ressuscitar elementos poéticos da cultura luso-brasileira popular quase esquecida de um passado remoto e muito significativo de nossos pais aos seus queridos filhos da língua de Camões”.
Entre outros temas, os poemas do livro tratam “da feminilidade da mulher portuguesa, que com seus chales nos ombros, transmitem aos filhos em forma de fado, que não se deve pagar o mal com o bem, não guardar ressentimentos ou amarguras, verdadeiros venenos para os ossos, e que se deve estender a mão aos necessitados, visando à união fraternal e a familiar.”
“Em meu livro, as poesias e os versos são de muita singeleza que gorjeia os valores de um profundo amor à natureza, às virtudes humanas e de nossas tradições sublimes, amor ao próximo e à nossa gente e, acima de tudo um fiel e sincero amor ao Criador Eterno. O leitor descobrirá o sublime que há em si”, afirma o autor.
O livro pode ser encontrado em livrarias, na editora – www.letrasdopensamento.com.br – ou através do email do autor.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA