No ritmo do The Flavours

0
1670

Música de qualidade deixa qualquer festa ou evento mais especial. Ainda mais se for música ao vivo, com uma banda formada por músicos competentes, como a The Flavours. Com apenas quatro anos de existência, a banda tem conquistado os jovens, as crianças e os adultos, por onde passa.
Tudo começou com Rodrigo Falcão e Duda Martins. Desde pequenos, os dois já se dedicavam à música. Tocavam na Igreja Nossa Senhora de Fátima, na Vila Leopoldina, entre outros trabalhos. “Certo dia fui em uma formatura e me chamaram para tocar. Quando subi no palco me senti muito bem, senti uma grande satisfação. Nesse dia tive a idéia da banda e a única pessoa que poderia fazer este trabalho comigo era o Duda”, conta. A primeira seleção dos músicos foi feita pela internet. Depois disso, começaram a desenvolver um projeto e a ensaiar. “Uma banda, para se maturar, evoluir, precisa de muito tempo. É preciso colocar o nome no mercado, colocar o pessoal tocando junto em harmonia e ficamos uns seis meses maturando o que iríamos fazer”.
A solidificação aconteceu mesmo em 2004. A formação da The Flavours foi se modificando e, como diz Rodrigo, foi formado um time vencedor. “O mercado de bailes é muito exigente, então uma banda não pode ter pessoas que oscilem de humor, que toquem bem apenas quando estão bem. E nosso objetivo principal é ser a melhor banda da cidade até o final deste ano. Quando eu falo a melhor banda é uma coisa muito relativa. Entramos no mercado para fazer uma coisa diferente. Sempre procuramos passar isso para nossos clientes, porque existem diversas bandas muito boas no mercado. E há bandas de linhas diferentes, umas seguem a linha mais clássica, e buscamos um estilo diferente, procuramos direcionar nosso trabalho para quem quer alguma coisa extremamente animada. O nosso objetivo em uma festa é fazer com que ela dure o maior tempo possível”.
Um dos diferenciais da The Flavours é que os músicos são extremamente jovens, com idades entre 21 e 28 anos. Isso se reflete, é claro, no repertório, animado e performático. “Temos um repertório básico que encantas as pessoas. Além de fazer músicas dos anos 1960, 1970, 1980, rock, bolero, country, fox, mpb, etc., investimos em dois tipos de músicas exclusivas: músicas brega e infantil. Usamos figurinos, como dos personagens do Chaves, diferente e que causa bastante impacto. E um outro diferencial nosso é a música eletrônica tocada ao vivo. Isso é muito difícil de se fazer. Muitos jovens que estão se casando hoje gostam de música eletrônica. Mas o contratante tem a liberdade de escolher todo o repertório, a menos que ele queira deixar por nossa conta”. Sem falar no visual dos integrantes, “bacana e contagiante”, como definem. Soma-se a isso os equipamentos de última geração e o investimento em tecnologia para melhor atender os clientes.
No currículo, a The Flavours conta com cerca de 310 eventos, além de outros 150 contratos fechados até 2008, não só na capital, mas no interior do Estado. “O mercado está aberto hoje para quem quer fazer coisas diferentes”, acrescenta Rodrigo. A The Flavours conta com 19 músicos e oito integrantes da equipe técnica. Este número de pessoas possibilita o desmembramento em duas bandas, sem que se perca, com isso, a qualidade. O contato pode ser feito por telefone, das 9 às 22h; por email, MSN ou Skype.

COMPARTILHE
Próximo artigoGente 296

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA