Meninas de fibra

0
1143

O grupo de teatro As Meninas do Conto, criado por Kika Antunes e Simone Grande, com sede na Lapa, foi contemplado pela Lei de Fomento ao Teatro, da Secretaria Municipal de Cultura, passando a receber subsídios para realizar pesquisas na área das artes cênicas e oferecer cursos gratuitos. Em parceria com os grupos Furunfunfum e Cia. Rodamoinho, As Meninas também apresentarão espetáculos como finalização do projeto.
“Foi a quarta vez que tentamos”, conta Kika. “A Lei de Fomento é muito importante justamente porque nós, assim como o Furumfunfun e a Cia. Rodamoinho, temos um foco muito forte na educação, na formação de crianças e professores”.
A princípio, As Meninas do Conto irão pesquisar a construção de um espetáculo. Depois desta fase, haverá um ciclo de reflexão sobre a arte de contar histórias na sede do grupo, com palestras, encontros e rodas de histórias. No final do ano e início de 2007, a comunidade lapeana poderá apreciar os resultados do projeto, pois As Meninas do Conto, Furunfunfum e Cia. Rodamoinho farão espetáculos experimentais pelas ruas do bairro, em praças, na estação de trem, etc. “A nossa vontade era trabalhar na Lapa e para a comunidade da Lapa. Os cursos serão direcionados às pessoas daqui, os espetáculos serão no Teatro Cacilda Becker. Serão dez semanas de espetáculos a preços populares. Sabemos que é preciso abrir mais espaço para as coisas acontecerem”, complementa Simone.
O grupo As Meninas do Conto nasceu em 1995, quando Kika e Simone começaram com o projeto de narração de histórias em uma editora. A parceria deu certo e elas levaram a iniciativa para outros lugares. Em 1998 o projeto ganhou um formato mais teatral, afinal as atrizes queriam trabalhar a dramaticidade e não só a narrativa. “Para quem gosta de interpretar é um prato cheio porque em uma história fazemos todos os personagens, com características muitos claras para que a criança entenda que quem está falando é o narrador e entenda os personagens”, conta Kika.
O incentivo veio em boa hora. “Para sobreviver fazemos desde narração de história em festas de aniversários até espetáculos”, contam, demonstrando que talento e força de vontade são imprescindíveis para alcançar o reconhecimento.

COMPARTILHE
Próximo artigoGente 296

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA