Parceria especial entre UniDown e União Fraterna

0
421

Foto: Gerson Azevedo

Gerson Azevedo
Aulas de teatro para alunos do UniDown

Um grupo de alunos downs tem aulas de teatro, dança, massagem, maquiagem, cabeleireiro e outros aprendizados  na União Fraterna, na Água Branca, desde agosto.

O Instituto UniDown fundado em 2018 é uma organização voltada a promover cursos para inserir socialmente os portadores da síndrome de Down. Hoje o UniDown tem inscritos mais de 270 alunos. “Queria oferecer uma oportunidade para quem não tem, e não só com práticas esportivas e de lazer, mas algo que eles pudessem trabalhar depois”, explica Marcio Berti, advogado, idealizador e fundador do UniDown que desde 2006 está à frente deste trabalho.

“Não tenho nenhum familiar com a síndrome de Down”, explica Marcio, morador da Lapa e diz que aprendeu com a mãe, Neuza Braga Berti, a trabalhar para a comunidade. “Quando decidi que iria me dedicar a uma causa social e de inclusão, observei que os downs eram pouco atendidos. Foi assim que iniciei meu trabalho”, explica ele acompanhando uma aula de teatro ministrada pelas voluntárias e irmãs Samanta e Vitória. O UniDown faz seu trabalho graças a doações de apoiadores.

UniDown-União Fraterna-GA (2)A parceria entre o UniDown e a União Fraterna surgiu recentemente e segundo Luiz Filho, vice-presidente da União Fraterma “conheci o trabalho do UniDown, através da Laura Gonçalves, do Ciesp Oeste, e oferecemos nosso espaço para que as aulas aconteçam por aqui. Oferecemos também um dos imóveis que temos junto à União Fraterna para que a UniDown tenha aqui a sua sede”. O imóvel, localizado na rua Faustolo, 92, está sendo reformado e em breve vai receber os associados do UniDown. Os cursos oferecidos pelo UniDown são gratuitos.

Acompanhamos uma das aulas de teatro de uma tarde de terça-feira. Os alunos seguem as determinações das professoras de maneira bem compenetrada. As mães desses alunos ficam esperando pelo final da aula e é uma oportunidade para que elas possam interagir com outros responsáveis que têm downs na família. Segundo Rose, avó de Renata, 48 anos “ela pediu para fazer teatro e está feliz com as aulas”; Valéria, mãe de Rafael, 24, “meu filho está mais solto e curtindo as aulas”. Josi, mãe de Caíque, 19 anos, além de trazer o filho para as aulas também ajuda as professoras nas aulas de teatro incentivando os alunos.

Marcio Berti, do UniDown e Luiz Silva, da União Fraterna (foto/Gerson Azevedo)
Marcio Berti, do UniDown e Luiz Silva, da União Fraterna (foto/Gerson Azevedo)
Marcio explica que os “downs precisam ser inseridos no mercado de trabalho. Eles têm capacidade e desempenham as tarefas como outro trabalhador, quando treinados e supervisionados. Um dos primeiros projetos que fizemos foi o Chefs Especiais que funcionou durante meses na rua Augusta e era administrado por eles e tudo correu bem”. A experiência terá continuidade, avisa Marcio, em breve e será aqui na zona Oeste.

Quem quiser colaborar com o UniDown pode visitar o site e saber mais e fazer uma doação ou se voluntariar. Mas também pode participar dos eventos. No próximo dia 1º de dezembro, das 14 às 18h (ingressos a R$ 10), acontece a segunda edição da BalaDown no belíssimo salão do União Fraterna. Além de DJ, a festa terá à venda tortas e doces com renda revertida para o instituto. Na primeira edição, compareceram 97 alunos e mais de 140 familiares e amigos. (GA)

Instituto Social UniDown, institutounidown@gmail.com, www.unidown.com.br, telefone 94564-1028 (Whats)

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA