Feira gera sustentabilidade

0
134

Foto: Divulgação

Divulgação
Incentivo à uma feira mais limpa e recicláveis

Projeto piloto “Vou Pra Feira + Sustentável” é a aposta da prefeitura para reduzir o lixo das feiras públicas e promover coleta de recicláveis.

São cinco feiras públicas da região Oeste e mais uma no centro da cidade participantes do projeto. Teve início em 10 de agosto e vai até outubro. A Secretaria Municipal das Subprefeituras através do Departamento de Abastecimento e Agricultura (Abast) é a responsável. O objetivo é incentivar a população e feirantes a ter novos hábitos de consumo e descarte de material orgânico ou não.

“Queremos revitalizar as feiras”, explica Carlos Fernandes, secretário-executivo do Abast, que junto com a equipe, tem acompanhado a implantação do projeto. “Queremos aumentar o contato entre feirantes e consumidores e trazer mais gente para as feiras. Essa é a missão do abastecimento”, explica Carlos, que por duas vezes foi subprefeito da Lapa.

Cocos e cana-de-açúcar são triturados e viram matéria prima para artesanato (Divulgação)
Cocos e cana-de-açúcar são triturados e viram matéria prima para artesanato (Divulgação)
São Paulo tem 145 feiras diárias (exceto às segundas) e mais de 800 na semana. “Estudamos como as feiras podem ajudar a melhorar a cidade, começando pela sustentabilidade e instalando pontos de coletas seletivas. Queremos que o resíduo gerado nas feiras seja visto como compromisso de quem fabrica, de quem distribui e também dos consumidores que poderão levar às feiras seus recicláveis – papel, plástico, vidro, metal, óleo e pilhas. Assim você muda a cultura”, diz.

A entrega do material reciclável transformam-se em créditos que são trocados por brindes sustentáveis (ecobags, sacolas recicláveis, mudas de temperos, vasos feitos com fibra de coco ou de bagaço de cana, flores, sabão feito com resíduos e outros produtos). Futuramente poderão render desconto em conta de luz ou crédito no Bilhete Único.

As feiras da região foram escolhidas, segundo Carlos, “Por estarem mais próximas do usina de reciclagem orgânica da prefeitura na Lapa de Baixo. Assim geramos economia de combustível e é mais ecológico”. Nas feiras do projeto estão sendo instaladas máquinas trituradoras de coco e os resíduos serão encaminhados para associações que trabalham com artesanato.
“Precisamos criar o hábito nas pessoas para não usar ou diminuir o uso de sacos plásticos, mesmo os biodegradáveis que demoram até três anos para se desintegrar. Para os vendedores de pastel, caldo de cana e coco, vamos trocar os plásticos por copo e canudos descartáveis de papel e vamos implementar a coleta de resíduo da feira em sacos compostáveis, feitos de mandioca e cana-de-açúcar. Quando você separa os FLV (frutas, legumes e verduras) para a compostagem, se o material chega em sacos plásticos precisa separá-los, mas esse que vamos utilizar, ele decompõe junto”, diz.

Feira Min.Ferreira Alves-2As cinco feiras da região que participam do projeto “Vou Pra Feira + Sustentável” são: Rua Barão do Bananal (sábado), Rua Fábia (domingo), Rua Bartolomeu Bueno (terça), Rua Cayowáa (quarta), Rua Min. Ferreira Alves (sexta) e no centro, na Rua dos Andradas (quinta).

Serão 60 dias de testes do projeto. Após esse período de teste, serão feitos os ajustes e a Abast espera implantar em todas as feiras da cidade. (GA)

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA