Viagem aos sabores da Tailândia

0
177

Foto: Gerson Azevedo

Gerson Azevedo
O livro de Carlos desvenda sabores e lugares da Tailândia.

O jornalista Carlos Eduardo Oliveira, lançou um livro sobre a Tailândia. Na obra ele narra detalhes da viagem pelas cores e sabores daquele país.

Morador da Vila Ipojuca há mais de 30 anos, Carlos Eduardo ou Cadu (como também é conhecido) é daqueles profissionais que ganham para se deliciar. Ele é um jornalista especializado em gastronomia e tem uma larga experiência no tema em revistas como a Gosto, a Gula e escreveu matérias para jornais e outras publicações sobre comida. O lançamento do livro “Tailândia Cores & Sabores”, pela Editora Melhoramentos (ed. 2019, 224 páginas) foi no dia 17 de junho na Casa Melhoramentos, na Vila Romana.

Neste livro-reportagem, Cadu conta que concebeu o livro para quem gosta de viagens e também de gastronomia, no caso a comida tailandesa (ou thai) que por aqui está mais conhecida e apreciada. Segundo o autor, “Abordo no livro não só a culinária daquele país como também aspectos culturais e julgo que vai interessar a qualquer pessoa. Também incluí receitas de pratos tailandeses”.

Carlos E (16)A ideia do livro surgiu em 2015. Naquele ano, Cadu viajou à Tailândia para realizar uma reportagem sobre a cultura e a culinária do país asiático. “Fiquei uns dez dias, e foi amor à primeira vista. Moraria lá fácil”, afirma. A ideia do livro surgiu “quando vi e vivenciei aquela maravilhosa profusão de comida por todo o lugar, com thais e turistas comendo aqueles pratos divinos na rua o tempo todo”, explica.

Com o livro idealizado, Cadu fez uma pesquisa com fontes sobre Tailândia no Brasil e também na Tailândia. No retorno ao país Cadu foi acompanhado do fotógrafo Johnny Mazzelli e ficaram 40 dias visitando a capital e cidades do interior.

Na Tailândia, Cadu conta que o idioma é a primeira barreira. “Fora de Bangkok, e mesmo em algumas partes da cidade, pouca gente fala inglês, exceção, claro, aos pontos mais turísticos. Isso foi resolvido com a presença constante de um tradutor. Aconteceu uma sincronicidade tão grande que as coisas foram se desenrolando muito bem, e naturalmente. Isso se deveu em muito à pesquisa prévia que realizei e ao caráter ‘gente boa’, aberto, dos tailandeses. Aliás, coisa comum a todo o sudeste asiático”, relata Carlos Eduardo.

O livro é dividido em duas partes. Na primeira, com o título “Comidas e Sabores”, Cadu escreve sobre as origens e influências da culinária tailandesas e seus ingredientes mais emblemáticos como o famoso curry, as variadas opções de comida de rua e as particularidades da cozinha de cada região daquele país.

Na segunda parte, intitulada “Histórias e Cores”, o autor revela os encanto dos mercados de comida em Bangkok e dos grandes restaurantes, apresenta o perfil de figuras representativas da gastronomia local e dedica um capítulo ao passo a passo das receitas thai como o Sticky Rice (arroz pegajoso cozido no vapor), a Som Tam (salada de papai verde), o Thai Green Curry (frango ao curry verde) e o clássico Pad Thai (camarões com macarrão oriental e broto de broto de soja). Todas as receitas que estão no livro podem ser feitas e antes da publicação, Carlos contou com a assessoria de uma chef thailandesa que mora e trabalha em São Paulo. “Todos os ingredientes podem ser comprados em lojas de produtos orientais mas lembro que haverá sempre uma diferença em relação aos pratos feitos lá na Tailândia”.

Um dos destaques do livro Tailândia Cores & Sabores fica por conta das inúmeras barracas de comida de rua que todo viajante encontra tanto na capital da Tailândia como em outras cidades. “São mais de 11 mil ambulantes cadastrados e que são periodicamente testados pelas autoridades quanto ao seu grau de limpeza. Os aprovados recebem um cartaz com os dizeres ‘Clean Food, Food Taste’ (comida limpa, gosto bom), que precisam deixar em local visível ao público”, explica.

Para quem um dia for à Tailândia poderá – se tiver coragem – comer insetos dos mais variados tipos, tamanhos. Carlos lembra que “é uma realidade da Tailândia. Existem criatórios e fazendas dedicadas à produção de insetos. São cerca de 20 mil, entre pequenos e médios empreendimentos”.

Mas Carlos confessa que não conseguiu encarar todas as iguarias. Ele recomenda o “bicho-da-seda, salgadinho, torrado e harmoniza com uma cerveja bem gelada. Grilos e gafanhotos não são tão memoráveis assim. Não provei formigas, mas dizem que seu gosto no palato se aproxima ao do bicho-da-seda. Quanto a baratas-d’água e aracnídeos, passei”, esclarece.
Enfim, o livro e a experiência que Carlos teve nesta viagem ao sudeste asiático é uma celebração à mesa que segundo o jornalista é peculiar e marcante. “Comer como um thai significa comer coletivamente. Seja em casa ou em restaurantes. Um ‘estilo familiar’ (family style), para usar a expressão corriqueira dos tailandeses”, filosofa.

Exposição de fotos da Tailândia na Casa Melhoramentos.
Exposição de fotos da Tailândia na Casa Melhoramentos.
Uma exposição com algumas das fotos que Johnny Mazzilli fez para o livro estão expostas até o dia 19 de julho na Casa Melhoramentos, (R. Tito, 479, Vila Romana) de segunda a sexta, das 9 às 18h, com entrada gratuita. (GA)

Tailândia Cores & Sabores, Editora Melhoramentos, Ed. 2019, 224 páginas, www.melhoramentos.com.br

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA