Moradores unidos pela Vila Leopoldina

0
112

Foto: Divulgação

Divulgação
A diretoria da Associação Viva Leopoldina (AVL)

A Associação Viva Leopoldina (AVL) foi criada para reunir moradores em defesa de suas necessidades e por melhorias do bairro.

Para discutir e minimizar problemas gerais como trânsito, segurança, limpeza urbana e zeladoria entre outras questões, uniu um grupo de síndicos de prédios da Vila Leopoldina, em 2014. Entre eles, o morador Umberto de Campos Sarti que era o síndico do condomínio onde mora desde 2011 e é presidente da AVL com mandato até 2019.

“Transformamos a AVL em pessoa jurídica e assim conseguimos atuar junto aos órgãos públicos como o Ministério Público e Prefeitura Regional, por exemplo”. Segundo Umberto, a AVL atualmente congrega 14 condomínios e estabelecimentos comerciais da região e representa cerca de 8 mil pessoas.

Viatura da PM foi reformada por conta dos moradores (Divulgação)
Viatura da PM foi reformada por conta dos moradores (Divulgação)

A diretoria da AVL é composta de 7 diretores e 3 conselheiros, todos eleitos pelos associados e são voluntários. “Não cobramos mensalidade. A AVL é mantida com doações e algumas das  ações que realizamos são custeadas de nosso próprio bolso”. As reuniões mensais são abertas à comunidade e a datas e o local são divulgados no Facebook da AVL.

Entre as parcerias que a AVL recebeu Umberto destaca “As Mães da Leopoldina que se cotizaram e pagaram pelo serviço de jardinagem na 2ª Cia do 4º Batalhão de Polícia Militar/Metropolitano, no Alto da Lapa”. A empresa Aster instalou uma câmera de segurança na Av. Imperatriz Leopoldina foi outra doação recebida pela AVL.

“O estado é o responsável pela saúde, educação e segurança, entre outros serviços, mas achamos mais produtivo deixar as reclamações de lado e fazer o que é possível por nossos próprios meios e ajudar no que for possível. Temos um bom relacionamento com a 2ª Cia. do 4º Batalhão de Polícia Militar Metropolitano e com o 91º Distrito Policial, responsáveis pelo policiamento da área onde está a Vila Leopoldina”, diz Umberto.

Câmeras de ruas aumentam a segurança de todos. (Divulgação)
Câmeras de ruas aumentam a segurança de todos. (Divulgação)

Ações práticas como a instalação de câmeras voltadas para a rua, inibem a ação de criminosos. As imagens são compartilhadas com a polícia (Detecta) em tempo real que pode coordenar uma ação. Ter uma comunicação entre os condomínios é outro fator que garante um monitoramento de atitudes suspeitas no entorno dos prédios. “E quando precisamos, acionamos o tel. 190 (Polícia Militar)”, diz.

Umberto lembra que moradores e funcionários dos condomínios precisam ter conscientização sobre os procedimentos de segurança. “O controle do acesso de prestadores de serviços garante uma segurança maior para os moradores e colaboradores”. (GA)

www.facebook.com/associacaovivaleopoldina

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA