50 anos de escotismo

0
569

Foto: Gerson Azevedo

Gerson Azevedo
Léa, o neto Gabriel e a irmã Antonia, sempre alertas!

Moradoras e escoteiras com mais de 50 anos de atividade, as irmãs Léa e Antonia Maria destacam as qualidades que o escotismo oferece aos jovens.

Em 1907, o militar inglês Robert Stephenson Smyth Baden-Powell criou o movimento juvenil mundial, educacional, voluntariado, sem partido e sem fins lucrativos. Ele, assim definiu que “o escotismo é uma escola de cidadania através da destreza e habilidade em assuntos mateiros.”

Presente em mais de 200 países, conta com cerca de 28 milhões de participantes. No Brasil, o movimento escoteiro chegou em 1910. Aqui, a estimativa é de 60 mil filiados, sendo 16 mil em São Paulo. A Lapa sedia o 214º Grupo de Escoteiros Quarupe, fundado por Léa e Antonia e por outros familiares em 1994. Atualmente o Quarupe realiza suas reuniões semanais, aos sábados, das 14:30 às 17h, no Clube-Escola Pelezão. A próxima reunião será dia 27 de janeiro.

241-GE Quarupe-Div (1)
O Quarupe se reúne no Pelezão, no Alto da Lapa, aos sábados (Divulgação)

“Nossa história com o escotismo é antiga. Nossos pais, Leo Santos Dezotti e Ruth Marchezani Dezotti é que nos apresentaram o escotismo, em Araras, SP. Minha mãe veio a São Paulo fez o curso preparatório e quando voltou à Araras criou o grupo Anhanguera. Nós, filhos e vizinhos nos tornamos escoteiros. Hoje estamos na quarta geração da família. Meu neto, Gabriel é lobinho e faz parte do Quarupe, para meu orgulho!”, resume Léa, assim como a irmã Antonia, fundadoras e diretoras do Quarupe.

Em São Paulo desde 1970, a família de Léa na Capital sempre morou na Lapa e participou de muitos grupos escoteiros. Ela reúne histórias, fotos, reportagens, recortes de jornais e revistas e pretende escrever um livro. Aqui foi professora e supervisora de ensino e nunca deixou a atividade com os escoteiros. Sobre o escotismo, Léa diz que “É uma atividade do bem. Passamos aos jovens, valores culturais, de ética, de respeito ao próximo, à natureza, intelectuais e eles se tornam cidadãos responsáveis, participantes e úteis em suas comunidades.”

O Quarupe, tem 110 integrantes e participa de ações comunitárias na região, como o Natal Comunitário, campanhas de arrecadação de donativos.

A sede no Pelezão foi possível com a colaboração de muita gente, lembra Léa. Ela agradece a prefeitos regionais e administradores do Pelezão e também ao empresário Walter Rivetti, “escoteiro honorário e nosso grande amigo!”, diz a diretora de relações institucional do Quarupe.

241º Grupo de Escoteiro Quarupe, Clube-Escola Pelezão, Rua Belmonte, 957, Bela Aliança, Telefone 3864-7845, www.241gequarupe.com.br

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA