Ellas: a delicadeza do handebol

0
1280

Foto: Divulgação

Divulgação
Carlos e as parte das meninas do Ellas

O amor pelo handebol levou Carlos Casalino a formar uma equipe feminina, o Ellas, que treina no Pelezão e está aberta para novas atletas interessadas em praticar o esporte.

O handebol foi criado em 1919 pelo alemão Karl Schelenz. Hoje, a modalidade esportiva é bem popular na Europa. No Brasil sua evolução tem acontecido e em 2013 a seleção feminina sagrou-se campeã mundial. Nas Olimpíadas do Rio 2016, o Brasil tem esperanças de chegar ao pódio com suas equipes masculina e feminina.

O Ellas, time formado por meninas de 15 a 28 anos, surgiu graças a Carlos Casalino, morador da Lapa. “Uma das minhas filhas começou a treinar em um time de handebol e como eu sempre fui apaixonado pelo esporte, resolvi ajudar e criamos o Ellas em janeiro de 2015”. Formado em educação física, Carlos foi jogador e é técnico formado no esporte. Trabalha em uma empresa e dedica seu tempo livre para treinar o Ellas e buscar mais conhecimento técnico sobre o esporte. “Fico feliz pela dedicação das meninas com o handebol e isso me motiva a continuar”, explica.

Carlos quer criar na Zona Oeste um polo de handebol. “Por isso criei o projeto, que recebe outras meninas interessadas em aprender e praticar o handebol. Faço um pouco de tudo para que elas continuem a jogar, apesar das dificuldades”, diz. Os treinos acontecem no ginásio ou nas quadras externas do Pelezão, quando há horários livres. O apoio do Ricardo Santos, coordenador do clube da prefeitura, é fundamental para o Ellas”, lembra Carlos.

Handbal Pelezão(4)
Ricardo, coordenador do Pelezão, Morten Soubak, técnico da seleção brasileira e Carlos Casalino, criador e técnico do Ellas.

O técnico do Ellas, em busca de mais apoio e visibilidade ao esporte, conseguiu trazer, em abril, Morten Soubak, técnico da seleção brasileira feminina, campeão mundial em 2013, para conhecer o projeto. “É muito legal o projeto do Ellas. Carlos se dedica ao handebol por amor ao esporte, sem interesse próprio. Precisamos de gente como ele para desenvolver o handebol por aqui”, declarou Morten.

Carlos buscou pela região da Lapa quadras para treinar o Ellas. “Estive em várias escolas, mas não tive o apoio que buscava. Por várias razões, nenhuma escola cedeu seu espaço para que o Ellas treinasse mais”, lamenta.

Os treinos do time acontecem no Pelezão nas manhãs de sábado e domingo. Hoje, são cerca de 20 atletas e ninguém paga para treinar. Carlos convida outras meninas, a partir dos 14 anos e sem limite de idade, para conhecer o Ellas e vir jogar handebol. Uma versão masculina faz parte dos planos futuros deste técnico apaixonado por esse esporte.

Ellas – Carlos Casalino, Telefone 99995-2802, c.casalino@terra.com.br, facebook.com/ellashandebol

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA