Mães unidas pela Vila

0
1774

 

Grupo do Facebook conquista adeptas, promove encontros e muitas discussões sadias.

Comunidade 1
As moderadoras do grupo: Ana Kika e Juliana

Tudo começou com uma simples solicitação virtual de Ana Kika Chaves, moradora da Vila Leopoldina. Ela precisava de uma boa babá pelo bairro e usou a rede social Facebook para conseguir uma indicação. Juliana Gomes, que já havia pensado em abrir um grupo de mães do bairro, inclusive já participava de outros grupos mais abrangentes, tinha uma babá para indicar e entrou em contato com Ana. A amizade virtual tomou forma, principalmente porque ambas moram no mesmo bairro e desse contato nasceu o grupo, hoje secreto, Mães da Leopoldina. “Combinamos um encontro pessoal na Padaria Letícia e, depois de algumas conversas, acabamos abrindo e formatando o grupo. O Face é uma ferramenta importante de troca”, diz Juliana.

A ideia principal da criação do grupo foi unir mulheres com os mesmos problemas e propósitos e que morassem perto umas das outras. Embora o foco seja a maternidade, o Mães da Leopoldina engloba mulheres em diferentes fases da vida, como as casadas sem filhos, grávidas, mães de bebês, crianças, adolescentes e adultos, que sejam profissionais ou donas de casa. “Muitas moram na Leopoldina, mas tem muita gente da Lapa, da Vila Romana, do Alto da Lapa, da Vila Anastácio. Mulheres dos bairros vizinhos são bem-vindas”, avisa Juliana, que é mãe de duas crianças e trabalha como advogada.

Juliana e Ana Kika abriram o grupo em janeiro de 2015, mas só começaram a adicionar pessoas no mês de abril, após formatarem as regras. Uma das regras do grupo é não denegrir a imagem de estabelecimentos nem de pessoas, então as reclamações são feitas de forma mais velada, sem revelar nomes. “Nem sempre o grupo foi secreto, a princípio ele era fechado, mas quando atingiu o número de mil pessoas, nós brecamos. Hoje, só entram as convidadas. Como somos moderadoras, somos rigorosas e sempre verificamos quem entra. Homens, adolescentes e pessoas que não têm o perfil, ou seja, que não estão inseridas nesse universo das casadas, mães, avós, não entram”, explica Juliana.

A troca de informações sobre produtos, locais de compra, acontecimentos locais e prestadores de serviço são os principais assuntos do grupo. Atualmente, os materiais escolares para troca estão no auge. O Mães da Leopoldina também promove encontro e eventos em parceria para benefício de todo o grupo. “Ficamos até abismadas com o sucesso do grupo. Hoje já somos 3.380 pessoas e a tendência é aumentar”, finaliza Juliana.

Como o grupo é secreto, as interessadas em saber mais informações, podem contatar as moderadoras através do e-mail: maesdaleopoldina@gmail.com. (ND)

Fotos: Arquivo pessoal

 

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA