Consciência|ecológica

0
767

Foto:

Leopoldo Matosinho

Compostagem orgânica em projeto doméstico.

Um projeto desenvolvido pela Morada da Floresta, em parceria com a Prefeitura de São Paulo e centros de apoio, como o Instituto 5 Elementos, que tem sede na Lapa, entregou 2 mil composteiras a pessoas interessadas em reduzir a quantidade de lixo orgânico produzido diariamente em suas casas. Segundo dados estatísticos, uma pessoa produz em média 1 kg de lixo (reciclável e orgânico) por dia.

De acordo com o porta-voz da Morada da Floresta, o economista e filósofo Leopoldo Matosinho, essas 2 mil composteiras contribuirão sobremaneira com o meio ambiente, pois impedirão que duas a quatro toneladas de lixo diárias cheguem aos aterros sanitários via caminhão de coleta.

A escolha dos participantes se deu através de um site. “Divulgamos a ação através dos centros de apoios (escolas, ONGs, associações de condôminos, etc.) e, até o dia 27 de junho, recebemos mais de 10 mil inscritos, que depois foram selecionados com base no censo do IBGE de 2010 (densidade demográfica e faixa de renda), restando 2 mil”, conta Leopoldo.

A composteira doada é feita de material plástico e vem com um kit que inclui: 1 pacote de minhocas californianas, 1 de serragem, 1 de composto sólido, 1 ancinho e 240 ml de repelente natural, além das caixas.

Os escolhidos se comprometeram a participar de três oficinas. Na primeira, já realizada, os selecionados receberam a composteira e aprenderam o processo de compostagem das minhocas californianas; a segunda ensinará a utilização do húmus produzido para revitalizar jardins, hortas; e a terceira será uma oficina de conversa, para troca de experiências entre os participantes. 

A jornalista e editora do Guia Daqui Lapa, Suiang Guerreiro, foi uma das escolhidas. Para ela, que já é adepta à permacultura, foi uma surpresa: “Fiquei muito feliz, principalmente ao saber da dimensão do projeto. É impressionante a quantidade de lixo que diminui dentro de casa. Gasto 3 minutos diários pegando os resíduos (cascas, restos de frutas, legumes), colocando na caixa e cobrindo com serragem. Sei que, depois de dois meses, terei húmus para revitalizar meus vasos e me sinto à vontade fazendo isso. Acho que é o caminho que todos deveriam seguir. O mundo está cheio de lixo e se a gente não fizer algo agora, talvez nossos bisnetos não encontrem nada limpo aqui no futuro, simples assim”, finaliza. 

Morada da Floresta
www.moradadafloresta.org.br

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA