Chega de saudade

0
825

Foto:

Chega de saudade

Tombado pelo Patrimônio Histórico, o prédio da União Fraterna vai passar por reforma e abrirá cheio de novidades.

Os olhos da diretora social e relações públicas da Sociedade Beneficente União Fraterna, Rosa Marina Zanfelici, lacrimejam ao comentar a notícia: o prédio de número 1 da rua Guaicurus, que serviu de cenário para o filme Chega de Saudade, de Laís Bodanzky – em que retratava os sonhos dos frequentadores, a maioria idosos –, vai ser restaurado. “Meus avós participaram da construção do prédio, meu avô foi voluntário”, relata Rosa.

A iniciativa do projeto partiu do presidente do Instituto Anastassiadis, Eudoxios Anastassiadis. “O Instituto tem como prioridade projetos de preservação e restauro de patrimônio histórico e cultural, onde os espaços, depois de revitalizados, poderão ser utilizados pela sociedade em atividades culturais e educacionais”, afirma o presidente.

Tombado pelo Conselho Municipal de Preservação do Patrimônio Histórico, Cultural e Ambiental da Cidade de São Paulo – Conpresp, o prédio terá, no primeiro momento, a fachada e interiores restaurados, preservando as características originais do edifício. Serão feitas ainda melhorias nas instalações elétricas, vedação para o barulho, instalações de ar condicionado e elevador. “Além da adaptação de uma cozinha moderna para eventos com bufê”, conta Rosa. Ampliar o espaço para a realização de eventos, incluindo exposição de arte, é uma das ideias da diretora social. Ela conta também que o local era muito utilizado para locação por pessoas que queriam realizar festas particulares no ambiente. “Não havia problema, até pouco tempo atrás, quando a casa estava mais bonita, mas as pichações agrediram a paisagem. As pessoas devem pensar: ‘se está assim por fora, imagina por dentro’ ”.

Os recursos para o trabalho, com previsão de R$ 3 milhões, serão captados por meio da Lei Rouanet, de incentivo à cultura. “Ainda não tem previsão para o tempo da obra, tudo dependerá das captações da Lei Rouanet”, informa Anastassiadis.

De acordo com Rosa, o estabelecimento continuará promovendo os tradicionais bailes temáticos, todo segundo sábado do mês, e os cursos para a turma da terceira idade. Por medida de segurança, quando algum ambiente tiver de ser interditado, Rosa vai avisar por e-mail os frequentadores. “Já tenho um mailing com 728 nomes”. Rosa já começa a imaginar como será o evento que vai celebrar a reinauguração do espaço. “Não sei ainda o que pode ser. Só sei que vai ser algo com muito glamour”, sonha de sorriso aberto. 

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA