As garotas do vôlei

0
941

Foto:

O time de vôlei e seus dirigentes

Embalado pelo título da Superliga masculina de vôlei temporada 2011/2012, o time de vôlei feminino do Sesi, um projeto que estava amadurecendo e que finalmente em maio desse ano foi apresentado por Paulo Skaf, presidente do Sesi-SP e da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp).
Com vários destaques no elenco, Talmo Curto de Oliveira, campeão olímpico de 1992, veio do time de Montes Claros para comandar o time do Sesi. As principais armas da nova equipe vêm dos clubes rivais. Campeã da última edição com a Unilever, Dani Lins será a levantadora e Sassá, que estava no Sollys/Osasco, é a ponteira.
Segundo Renato Tavolari, supervisor do vôlei feminino da instituição, a expectativa para esse ano é que o time fique entre os três primeiros do Torneio Paulista de Vôlei e entre os quatro times classificados da Superliga. Para o Campeonato Paulista 2011, oito clubes disputam o torneio.
Formado por 14 atletas, segundo o supervisor, o time inclui jogadoras consagradas e jovens revelações como Soninha, medalhista de bronze na modalidade e a atleta Elisângela, a capitã do time, de 32 anos. A idade média das atletas varia de 17 a 32 anos.
O Centro de Treinamento das meninas, o Sesi Vila Leopoldina, é um dos mais completos centros esportivo do estado. Para chegar ao objetivo de vitórias, o time treina todos os dias durante 4 horas. “Esperamos alcançar um entrosamento maior durante a competição, mas o treinamento forte e dedicado é fundamental para isso acontecer”, conclui o supervisor.
Atual campeão da Superliga, o time masculino liderado pelo técnico Giovane Gávio serve de inspiração e de estímulo para a equipe do feminino, segundo as palavras do técnico Talmo em entrevista para o jornalista Fernando Rosa, do Portal Tudoeste.
Questionado sobre os objetivos mais importantes com a iniciativa, Renato Tavolari diz que a pedagogia do esporte é um sistema que utiliza os atletas como uma ferramenta de motivação para os alunos praticarem esporte. “Temos a convicção que praticar esportes conscientiza, orienta e influencia nossas crianças. O esporte dá ao aluno as melhores companhias, educa e dificulta a prática daquilo que não é saudável para a criança” ressalta.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA